Publicado em 2 comentários

9 Sinais De Deficiência De Magnésio E Como Tratá-la

10 fevereiro 2021
9 Sinais De Deficiência De Magnésio E Como Tratá-la
Postado por Mateus Kurek Pagliosa
9 Sinais De Deficiência De Magnésio E Como Tratá-la 3

O magnésio é indiscutivelmente o mineral mais importante para o corpo, e é por isso que sua deficiência pode ser um problema grave.

De acordo com Norman Shealy, neurocirurgião americano, Ph.D e pioneiro na medicina para a dor, “cada doença que conhecemos está associada à deficiência de magnésio que, se evitada, pode ser parte da cura para muitas doenças.” O magnésio não só ajuda a regular o cálcio, o potássio e o sódio, mas também é essencial para a saúde celular e é um componente necessário para mais de 300 funções bioquímicas no organismo.

Até mesmo a glutationa, o antioxidante mais poderoso do corpo, requer magnésio para sua síntese. Infelizmente, a maioria das pessoas não sabe disso e muita gente sofre diariamente pela deficiência deste mineral sem sequer saber.

Causas Da Deficiência De Magnésio

Causas Da Deficiência De Magnésio

Antes considerada relativamente rara, a deficiência de magnésio é mais comum do que a maioria dos médicos acredita. Entenda o porquê:

O esgotamento do solo, os organismos geneticamente modificados (OGM ou GMO) e os produtos químicos presentes em nossos alimentos criaram uma receita desastrosa. Quando minerais são removidos, arrancados ou deixam de estar presentes no solo, a porcentagem de magnésio presente na composição dos alimentos consequentemente diminui.

Complicações digestivas, como intestino permeável, podem causar má absorção de minerais, incluindo o magnésio. Atualmente, milhões de pessoas têm dificuldades de absorver nutrientes. Além disso, à medida que envelhecemos, nossa capacidade de absorção de minerais tende a baixar, aumentando as chances de deficiências nutricionais.

Doenças crônicas e uso de medicamentos também são críticos, visto que a maioria das doenças crônicas tem relação com a carência de magnésio e a falta de absorção de minerais, enquanto medicamentos prejudicam e danificam o intestino, órgão responsável pela absorção de nutrientes no corpo.

Quem segue dieta cetônica tende a perder mais água, mesmo garantindo uma hidratação contínua. Quando a eliminação excessiva de água ocorre, também são eliminados eletrólitos essenciais para a saúde, como magnésio, potássio e sódio. Nestes casos, bebidas ricas em magnésio são de grande valia.

Você precisa se preocupar com a deficiência de magnésio? Tudo dependerá de fatores de risco e sintomas identificados. Vale destacar que aproximadamente 80% das pessoas possuem baixos níveis deste mineral, então é provável que você apresente esta carência nutricional.

Observe: apenas 1% do magnésio do corpo está presente na corrente sanguínea. Portanto, nem sempre a deficiência deste mineral será descoberta através de um exame de sangue comum.

Sintomas De Deficiência De Magnésio

Sintomas De Deficiência De Magnésio

Muitas pessoas podem ter deficiência de magnésio e nem mesmo saber disso. Aqui estão listados alguns dos sintomas mais importantes a serem identificados sobre este problema.

1. Cãibras nas pernas

Cerca de 70% dos adultos e 7% das crianças sentem cãibras nas pernas regularmente, e isso pode acontecer em diversas intensidades. Como o magnésio tem papel importante nos sinais neuromusculares e na contração muscular, os pesquisadores observaram que a deficiência de magnésio costuma ser a culpada. Outro sinal de alerta de deficiência deste nutriente é a síndrome das pernas inquietas.

Cada vez mais profissionais de saúde estão prescrevendo suplementos de magnésio para auxiliar seus pacientes. Para resolver problemas como cãibras e síndrome das pernas inquietas, por exemplo, indica-se o aumento da ingestão de magnésio e potássio.

2. Insônia

A deficiência de magnésio costuma ser uma causa de distúrbios do sono, como ansiedade, hiperatividade e inquietação. Pesquisas científicas sugerem que isso ocorre devido a importância deste mineral no desempenho de um neurotransmissor inibitório chamado GABA, conhecido por acalmar o cérebro e promover o relaxamento.

Os melhores horários para suplementar com magnésio por causa deste problema são no jantar ou antes de dormir, com cerca de 400 mg. Além disso, adicionar alimentos ricos em magnésio no jantar, como espinafre (citar outros), também pode ajudar.

3. Dor Muscular / Fibromialgia

Um estudo publicado na revista Magnesium Research examinou o papel desempenhado pelo magnésio nos sintomas de fibromialgia e descobriu que o aumento de seu consumo foi capaz de reduzir a dor e a sensibilidade, além de melhorar marcadores sanguíneos de imunidade.

Associada em boa parte à doenças autoimunes, esse estudo pode encorajar pacientes com fibromialgia, já que destaca efeitos sistêmicos que suplementos de magnésio podem oferecer para o corpo.

4. Ansiedade

A deficiência de magnésio pode afetar o sistema nervoso central, em específico o ciclo GABA. Por isso, os efeitos colaterais deste problema podem incluir a irritabilidade e o nervosismo. Conforme a deficiência se agrava, altos níveis de ansiedade ou até mesmo depressão e alucinações podem ser gerados. Também foi verificado que o magnésio ajuda a acalmar o corpo e os músculos, além de melhorar o humor – pois é um mineral vital para este propósito.

O magnésio é utilizado em todas as funções celulares, do intestino ao cérebro. Portanto, não é de se admirar que tantos sistemas do organismo dependem dele.

5. Pressão Alta

Junto com o cálcio, o magnésio tem influência na regulação da pressão arterial e na proteção cardíaca. Desta forma, a deficiência de magnésio também está associada a baixos teores de cálcio e à hipertensão ou pressão alta. Um grande estudo realizado com 241.378 participantes e publicado no Amercian Journal of Clinical Nutrition revelou que uma dieta rica em alimentos que contêm magnésio pode reduzir em 8% o risco de derrame. Esta constatação é de suma importância, já que a hipertensão está relacionada com cerca de 50% dos acidentes vasculares isquêmicos do mundo.

6. Diabetes Tipo 2

A diabetes tipo II é uma das quatro principais causas da deficiência de magnésio. Dados obtidos por pesquisadores do Reino Unido, por exemplo,  apontaram que dietas ricas em magnésio são eficazes para diminuir significativamente o risco de diabetes tipo 2 em função do papel do magnésio no metabolismo do açúcar. Enquanto isso, outro estudo descobriu que a simples adição de suplementação de magnésio na quantidade de 100 mg por dia reduziu o risco de diabetes em 15%.

7. Fadiga

Baixa de energia, fraqueza e fadiga são sintomas comuns da deficiência de magnésio. Em muitos casos de síndrome de fadiga crônica, por exemplo, a carência deste mineral é detectada. O Centro Médico da Universidade de Maryland relata que uma dosagem de 300 a 1000 mg de magnésio por dia pode auxiliar na melhora deste quadro. No entanto, o cuidado na dosagem é essencial, visto que o excesso de magnésio pode causar problemas como diarreia – o que pode ser resolvido com a simples redução das quantidades consumidas até que este efeito colateral desapareça.

8. Enxaqueca

A deficiência de magnésio tem sido associada a enxaquecas devido à importância deste mineral no equilíbrio dos neurotransmissores. Estudos controlados mostram que 360 a 600 mg de magnésio por dia podem reduzir a frequência de dores de cabeça relacionadas à enxaqueca em até 42%.

9. Osteoporose

O Instituto Nacional de Saúde dos EUA (The National Institute of Health), informa que “o corpo de uma pessoa média contém cerca de 25 gramas de magnésio, e cerca de metade disso está nos ossos”. É importante destacar isso, principalmente para idosos, que apresentam maiores riscos de enfraquecimento ósseo. Felizmente, há esperança! Um estudo publicado pela Biology Trace Element Research demonstrou que a suplementação com magnésio realizada em um período de 30 dias foi capaz de retardar o avanço da osteoporose significativamente. Porém, além de suplementar com magnésio, você também deve considerar a ingestão das vitaminas D3 e K2, para que a construção de densidade óssea ocorra naturalmente.

Você Corre O Risco De Ter Deficiência De Magnésio?

Você Corre O Risco De Ter Deficiência De Magnésio?

Então, quem é mais suscetível à deficiência de magnésio?

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos EUA (The National Institute of Health), nem todos os casos são iguais no que diz respeito à metabolização e assimilação de magnésio. Inclusive, certas pessoas têm maiores riscos de desenvolver deficiência de magnésio que outras.

A deficiência de magnésio pode ser hereditária e culminar na incapacidade de absorver este mineral fundamental. Além disso, uma dieta pobre em alimentos que contenham boas quantidades de magnésio ou até mesmo o estresse pode drená-lo do organismo. Porém, independentemente do motivo, a deficiência de magnésio pode levar a efeitos colaterais mencionados, como enxaqueca, diabetes, fadiga e muitos outros.

Existem quatro grupos de risco mais proeminentes, os quais são:

  • Pessoas com problemas gastrointestinais: como a maior parte do magnésio é absorvida no intestino delgado, problemas como doença celíaca e doença de Crohn tendem a provocar deficiência de magnésio. Além disso, as pessoas que passam por cirurgias que envolvem o intestino, como resseção ou desvio do intestino delgado, acabam ficando mais vulneráveis à carência deste nutriente.
  • Pessoas com diabetes tipo II: em parte devido ao aumento da micção, pessoas com diabetes tipo II ou que sofrem de resistência à insulina apresentam dificuldades para absorver magnésio. Portanto, dietas que propõem a redução da concentração de glicose que chegará até os rins podem ser extremamente úteis nestes casos.
  • Idosos: com o avanço da idade, é natural que ocorra a queda dos níveis de magnésio no organismo. Estudos mostram que idosos simplesmente não incluem boas fontes de magnésio em sua alimentação como faziam quando eram mais jovens – o que é relativamente fácil de corrigir. O que é incontrolável, no entanto, é a menor capacidade de absorção intestinal que ocorre naturalmente com o envelhecimento, podendo resultar na redução de estoques de magnésio para os ossos e na perda urinária excessiva.
  • Pessoas que lutam contra o alcoolismo: o álcool é um antinutriente que, literalmente, suga os nutrientes das células e prejudica a absorção e a utilização adequada dos mesmos – resultando dentre outros problemas, na deficiência de magnésio. Até mesmo o uso recreativo de álcool pode prejudicar esta função essencial do organismo, e não apenas a dependência de álcool. O consumo de uma ou duas taças de vinho orgânico em uma semana pode ser praticado por muitas pessoas, mas é altamente desgastante para o fígado. O álcool também pode causar esgotamento de minerais do corpo em função da desidratação que promove, além do desequilíbrio da flora intestinal, comprometimento do sistema imunológico, distúrbios de sono e envelhecimento precoce.

O Esgotamento Do Solo Afeta A Ingestão De Magnésio

O Esgotamento Do Solo Afeta A Ingestão De Magnésio

O magnésio costumava ser abundante na maioria dos alimentos. Porém, nos últimos anos, as práticas agrícolas e as mudanças nos ciclos de cultivo têm resultado em cada vez menos teores deste nutriente nos alimentos.

Estudos têm mostrado que produtos que comemos hoje são uma sombra da qualidade nutricional de apenas 60 anos atrás. De acordo com um relatório publicado no ano de 2011 pela Scientific American:

“A Organic Consumers Association cita vários outros estudos com descobertas semelhantes: Uma análise do Kushi Institute sobre dados de nutrientes de 1975 a 1997 descobriu que os níveis médios de cálcio em 12 vegetais frescos caíram 27%; níveis de ferro 37%; os níveis de vitamina A em 21% e os níveis de vitamina C em 30%.”

Um estudo semelhante sobre dados de nutrientes britânicos de 1930 a 1980, publicado pelo British Food Journal, descobriu que o teor médio de cálcio em 20 vegetais diminuiu 19%, o ferro 22% e o potássio 14%. Outro estudo demonstrou que seria necessário comer oito laranjas para obter as mesmas quantidades de vitamina A que nossos avós teriam obtido de uma em sua época.

Por fim, mesmo que optemos por uma dieta de alimentos crus, totalmente orgânicos e não transgênicos, ainda corremos riscos nutricionais em função do esgotamento do solo e de práticas capitalistas atuais.

Melhores Suplementos De Magnésio

Melhores Suplementos De Magnésio

Se você acha que pode sofrer de deficiência de magnésio e deseja melhorar o teor deste nutriente em seu organismo, vale a pena considerar sua suplementação.

Veja a seguir uma lista com boas indicações de suplementos de magnésio:

  • Quelato de magnésio: é uma forma de magnésio que se liga a vários aminoácidos, permanece no mesmo estado que é encontrado em alimentos e é altamente absorvível pelo corpo.
  • Citrato de magnésio: é a combinação de magnésio com ácido cítrico, o qual possui propriedades laxativas e é usado frequentemente em casos de constipação.
  • Glicinato de magnésio: é uma forma quelatada de magnésio, que tende a ter altos níveis de absorção e biodisponibilidade, sendo normalmente indicada para correção de alguma deficiência.
  • Treonato de magnésio: é um tipo emergente de suplemento de magnésio que parece promissor, principalmente por ser capaz de penetrar na membrana mitocondrial.
  • Óleo de cloreto de magnésio: está na forma de óleo, pode passar pela pele e entrar no corpo. Indicado para quem luta contra problemas digestivos, como má absorção.

Efeitos Colaterais Do Magnésio

Efeitos Colaterais Do Magnésio

A recomendação de consumo de magnésio é de, aproximadamente, 300 a 400 mg, sempre com acompanhamento profissional.

Com quantidades acima de 600 mg diárias, cerca de 20% das pessoas podem ter diarreia.

Em casos de distúrbios gastrointestinais, um médico deve ser consultado.

Considerações Finais Sobre A Deficiência De Magnésio

Considerações Finais Sobre A Deficiência De Magnésio
  • O magnésio é um mineral vital para a saúde. De acordo com pesquisas, a deficiência de magnésio está associada a quase todas as doenças.
  • As causas da deficiência de magnésio incluem o esgotamento do solo, OGM (GMO), doenças digestivas e doenças crônicas.
  • Os sintomas da deficiência de magnésio englobam cólicas, insônia, dores musculares, ansiedade, pressão alta, diabetes, fadiga, enxaqueca e osteoporose.
  • Idosos ou pessoas que possuem problemas gastrointestinais, diabetes e dependência de álcool, apresentam maiores riscos de ter deficiência de magnésio.

 

Artigo de Dr. Josh Axe, originalmente publicado em https://draxe.com/nutrition/9-signs-magnesium-deficiency/ e traduzido por Mateus K. P.

Comprar Magnésio

Clique aqui

Comprar Magnésio

Clique aqui

Referências Bibliográficas

2 comentários sobre “9 Sinais De Deficiência De Magnésio E Como Tratá-la

  1. Sou médico. Tive o prazer de ler esse importante estudo sobre a importância do Mg, como mineral importantíssimo, atualizado sobre a importância do equilíbrio do Mg no organismo humano. Muito explicitado, valioso e atual. Parabéns ao Dr. Axe e tradução por Mateus K.P. Ainda não havia tido a oportunidade de ter lido um estudo médico tão bem fundamentado, motivo pelo qual torna-se mais valioso esse estudo. Obrigado.

    1. Oi, Dr. tudo bem?

      Ficamos muito felizes com o seu feedback! Continue nos acompanhando, é uma satisfação ter você pertinho da gente 🙂

      Abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *