Publicado em Deixe um comentário

Vitamina A: Conheça Suas Principais Funções No Organismo

6 setembro 2021
Vitamina A: Conheça Suas Principais Funções No Organismo
Postado por Mateus Kurek Pagliosa
Alimentos e cápsulas de suplemento ricos em vitamina A dispostos em uma mesa

A vitamina A é indispensável para a manter a visão e a pele saudáveis, e desempenha um papel importante no desenvolvimento físico e no combate a inflamações e danos causados por radicais livres. Por isso, é considerada crucial durante todas as fases da vida.

Neste artigo, detalhamos as principais funções desempenhadas pela vitamina A no organismo!

Vem com a gente!

O Que É Vitamina A?

Abóboras inteiras e em pedaços ao lado de sementes de abóbora em saco de juta, ricas em vitamina A

A vitamina A é uma vitamina lipossolúvel (solúvel em gordura) que exerce papel antioxidante bastante eficiente no organismo. No entanto, para ser melhor aproveitada pelo corpo, precisa estar em sua forma ativa: o retinol. Quando obtida através de frutas e vegetais coloridos, sua forma é o beta-caroteno e outros carotenoides, que precisam ser convertidos pelo corpo em retinol.

Vale destacar que o termo vitamina A é utilizado para descrever todo um grupo de retinoides, incluindo retinol e carotenóides.

Teores ideais deste micronutriente podem ser obtidos através de alimentos em uma dieta balanceada, e contribuem para a saúde dos olhos e da pele, imunidade, crescimento celular e em funções importantes para uma longevidade saudável, como a inibição de radicais livres.

No entanto, é preciso considerar obtê-la sempre em níveis equilibrados, visto que sua deficiência ou alta dosagem pode resultar em prejuízos para a saúde óssea, fígado, emoções e mais.

Retinol, A Forma Biodisponível Da Vitamina A:

A vitamina A pode ser inserida na alimentação como vitamina A pré-formada (principalmente como éster retinílico, retinol e em quantidade muito menor como ácido retinóico) ou carotenoides pró-vitamina A.

Os retinoides são formas biodisponíveis da vitamina A, encontrados em alimentos de origem animal. Já o beta-caroteno e outros carotenoides, são encontrados em vegetais e não são assimilados com tanta facilidade pela maioria das pessoas. Na verdade, uma série de fatores pode impedir o organismo de absorver carotenoides e convertê-los em retinol. Alguns deles são:

  • Fatores genéticos
  • Problemas digestivos – incluindo dificuldades de digerir gordura
  • Ingestão de álcool
  • Uso de medicamentos
  • Exposição a elementos tóxicos

Essa capacidade de conversão também tem relação com o tipo de dieta praticada, visto que a gordura é fundamental para que este processo ocorra de maneira adequada. Além disso, complicações como diabetes e produção biliar comprometida também interferem na conversão de carotenoides em vitamina A biodisponível.

Os retinoides ajudam a regenerar as células e reparar os tecidos, favorecem a cicatrização de feridas e o combate a acne e psoríase, regulam a expressão gênica do GH (o hormônio do crescimento) e previnem a degeneração macular.

A pouca ingestão ou má absorção de gordura pode comprometer a manutenção de níveis adequados de vitamina A no organismo, já que ela é uma vitamina lipossolúvel – ou seja: solúvel em gordura. Quando sua deficiência ocorre, todas as funções que a envolvem são comprometidas.

Benefícios Proporcionados Pela Vitamina A

Olhos saudáveis, representando um dos principais benefícios proporcionados pela vitamina A

A vitamina A é importante para a saúde dos olhos, metabolismo do ferro, funcionamento do sistema imunológico e desenvolvimento celular, e muitas vezes atua em sinergia com outros nutrientes como a vitamina D, vitamina K2 e zinco.

Por exemplo, muitas proteínas que participam do metabolismo da vitamina A funcionam adequadamente somente junto com o zinco. Já, junto com a vitamina D, participa da regulação da produção de determinadas proteínas dependentes de vitamina K.

A seguir, veremos algumas das principais maneiras que ela beneficia a saúde, seja individualmente ou combinada com outros nutrientes.

Vitamina A e saúde dos olhos

Uma das funções mais conhecidas da vitamina A é a manutenção da saúde ocular. Ela consegue ajudar nisso por ser um dos componentes da rodopsina, uma proteína responsável por enviar sinais ao cérebro quando a luz chega até a retina, que então resulta na visão. Vale mencionar que o beta-caroteno ajuda a prevenir a degeneração macular, um problema ligado à cegueira que pode ocorrer com o avanço da idade.

A vitamina A também colabora com a lubrificação do sistema lacrimal, o que justifica o ressecamento dos olhos e maiores chances de conjuntivite e infecções oculares em casos de sua deficiência.

Um estudo publicado no Archives of Ophthalmology demonstrou que o uso diário de um multivitamínico contendo as vitaminas A, C e E, e os minerais zinco e cobre, foi capaz de reduzir 25% do risco de degeneração macular em pessoas que apresentavam maior propensão a este problema.

Vitamina A e imunidade

A vitamina A também favorece a função imunológica, e sua deficiência está associada a um maior número de ocorrências de infecções e doenças. Embora se saiba há muito tempo sobre o papel da vitamina A para a imunidade e combate de doenças infecciosas, são relativamente recentes as evidências substanciais sobre este papel, verificadas em estudos epidemiológicos, imunológicos e moleculares.

A vitamina A e seus metabólitos são intensificadores do sistema imunológico que potencializam as respostas de anticorpos a antígenos dependentes de células T, combatem a morte celular e restauram a integridade e função das superfícies mucosas.

A deficiência desta vitamina pode gerar alterações generalizadas na imunidade, como bloqueio de regeneração das mucosas e consequente aumento das chances de infecção, comprometimento de respostas de anticorpos, e prejuízos relacionados aos linfócitos.

Vitamina A e controle da inflamação

O beta-caroteno é um composto poderoso, que combate radicais livres presentes em excesso no organismo, prevenindo danos de estresse oxidativo nas células e melhorando o controle da inflamação. Assim, os efeitos anti-inflamatórios da vitamina A e do beta-caroteno ajudam a prevenir uma grande variedade de desequilíbrios da saúde.

Vale a pena lembrar que a inflamação crônica está na raiz da maioria das doenças que conhecemos, inclusive diabetes, câncer e doenças cardíacas. Além disso, sabe-se que o controle da inflamação beneficia a saúde mental, pois reduz o risco de complicações neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson.

Vitamina A e saúde da pele

A vitamina A é indicada por muitos dermatologistas para o combate da acne, rugas e melhora do aspecto, resistência e saúde da pele em geral, devido à sua ação antioxidante e anti-inflamatória e seu apoio para manter bons níveis de colágeno.

Um estudo realizado pelo Departamento de Dermatologia da Escola de Medicina da Universidade de Michigan descobriu que a aplicação tópica de retinol trouxe melhoras significativas para a pele ao suavizar linhas de expressão e rugas, além de aumentar a resistência contra lesões.

Os benefícios da vitamina A para a pele também podem incluir a amenização de psoríase e eczema, redução da oleosidade e combate à radiação UV. Como antioxidante que combate o estresse oxidativo, também favorece a prevenção do envelhecimento precoce que afeta os tecidos do corpo.

Vale lembrar que, com o avanço da idade, é comum que a capacidade de renovação cutânea comece a reduzir, tornando-se mais lenta e comprometida. Assim, níveis regulares de vitamina A mostram-se, novamente, essenciais.

Vitamina A e o combate a radicais livres

A ingestão de boas fontes de vitamina A pode ajudar a combater o desenvolvimento do câncer.

A vitamina A se liga e ativa os receptores retinóides (RARs), induzindo assim a diferenciação celular e a apoptose de alguns tipos de células cancerígenas e inibindo a carcinogênese. Inclusive, a relação dos retinoides com a progressão do câncer tornou-se objeto de vários estudos.

Estudos in vitro apresentados em uma revisão da BioMed Research International demonstraram que retinoides conseguiram bloquear o crescimento de células cancerígenas em locais como pele, bexiga, mama, próstata e pulmões. Tal resultado demonstra potencial para que este benefício continue sendo investigado em estudos de maior escala.

Porém, é importante ressaltar que ácido retinóico em altas concentrações pode causar toxicidade para as células. Uma série de estudos realizados serve como embasamento sobre o perigo da suplementação de vitamina A sem dosagem controlada, mostrando que doses elevadas podem levar à toxicidade e podem aumentar seu risco de doença cardíaca, câncer e mortalidade por todas as causas. 

Vitamina A e saúde dos ossos

Em níveis equilibrados, a vitamina A também cumpre papel na saúde óssea, visto que sua carência pode favorecer a osteoporose e redução na densidade mineral óssea, enquanto em níveis elevados, pode gerar efeitos deletérios nos ossos, resultando em aumento da fragilidade esquelética.

Como comentamos, as vitaminas A e D atuam juntas na regulação da produção de determinadas proteínas dependentes de vitamina K. Segundo Joseph Mercola, uma vez que a vitamina K ativa essas proteínas, eles ajudam a mineralizar os ossos e os dentes, proteger as artérias e outros tecidos moles contra a calcificação anormal e protegem contra a morte celular. 

Vitamina A e gravidez

A vitamina A é considerada uma vitamina fundamental para a saúde feminina, e tem papel especial no período de gravidez, desde que mantida em níveis regulares.

É uma vitamina que cumpre papel importante no desenvolvimento do feto e do recém-nascido, em especial para o desenvolvimento pulmonar e maturação. Em particular, o beta-caroteno contribui para a prevenção de distúrbios do desenvolvimento em mulheres em período de gestação ou amamentação.

Baixos níveis de vitamina A durante a gravidez aumentam os riscos de infecção e morte do bebê, e dificultam a manutenção dos níveis ideais de ferro da gestante. Atualmente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a suplementação de vitamina A durante o período de gravidez e a amamentação em regiões com deficiência endêmica de vitamina A.

No entanto, o excesso de vitamina A durante a gravidez pode causar malformações em bebês, afetando lábios e palato, bem como cérebro e coração.

Fontes De Vitamina A

Cenouras, uma das melhores fontes de vitamina A

Como mencionado, com a escolha certa de alimentos já é possível garantir os níveis de vitamina A necessários. Na lista a seguir, constam dicas de boas fontes naturais desta vitamina para você compor sua dieta:

  • Abóbora
  • Batata doce
  • Couve
  • Cenoura
  • Espinafre
  • Brócolis
  • Manteiga
  • Fígado de boi
  • Óleo de fígado de bacalhau
  • Gemas de ovos
  • Queijo cottage
  • Leite integral

Riscos Relacionados À Vitamina A

Mulher levando as mãos à barriga, representando um dos problemas relacionados à alta dosagem de vitamina A

Ingerir altas doses de vitamina A ou consumi-la em combinação com outros antioxidantes pode causar defeitos congênitos, comprometer a densidade óssea e causar lesões hepáticas, além de gerar sintomas como falta de apetite, irritabilidade, dor de cabeça, queda de cabelo, ressecamento dos lábios e náuseas. Por isso, sua suplementação deve ser orientada por médico ou profissional capacitado, que deve avaliar as condições individuais de cada pessoa.

Já sua deficiência pode ocorrer não só pela pouca ingestão de alimentos que a contenham, mas também pela má absorção de gordura, já que ela precisa deste macronutriente para ser assimilada.

Pessoas com complicações intestinais ou pancreáticas têm mais chances de sofrer de carência de vitamina A, bem como aquelas com doenças autoimunes ou dependentes de álcool.

Alguns dos principais problemas gerados pela deficiência desta vitamina incluem secura conjuntiva, cegueira noturna, ressecamento das córneas, manchas de Bitot, lábios secos, descamação da pele, desregulação da imunidade e problemas de crescimento.

Considerações Finais

A vitamina A é um composto vital para o organismo, que pode ser garantido através de uma dieta equilibrada e desempenha funções individuais e em conjunto com outros nutrientes, como zinco, vitamina D e vitamina K. A manutenção de seus níveis no organismo é fundamental, já que tanto sua deficiência quanto seu excesso podem causar danos severos à saúde.

Leia mais artigos sobre vitaminas!

Até a próxima!

Referências:

https://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/10/16/tipos-de-vitamina-a.aspx

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/7811869/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4387950/

https://draxe.com/nutrition/vitamin-a/

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/21967159/

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/17665093/

https://www.scielo.br/j/csc/a/dzNXNRhkcvSTcQ83pSmwPHx/?lang=en

https://pubchem.ncbi.nlm.nih.gov/compound/445354

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *